Notícias do grupo de trabalho de Together Accessibility

Abril 21, 2023

Desde o início, ouvimo-nos uns aos outros. Ficou claro que sentimos que era profundamente importante que, ao reunirmo-nos, ninguém se sentisse excluído. Queremos muito testemunhar a nossa esperança de uma Igreja em que todos se possam reunir como povo de Deus.

Se nos encontrarmos em Roma na véspera da Assembleia Geral do Sínodo dos Bispos da Igreja Católica, ou em qualquer outro lugar, reunimo-nos também como cristãos de muitas tradições, vertentes e culturas diferentes, cada um com um papel a desempenhar na construção do Corpo de Cristo.

Queremos estar atentos também àqueles que não acreditam, ou já não se sentem capazes de se intitularem cristãos.

Ouvimos os desejos dos jovens por um mundo em que pessoas de todas as origens, crenças e situações de vida possam trabalhar em conjunto para o bem comum.

Considerámos particularmente importante que, na preparação para este encontro, estivéssemos atentos às necessidades das pessoas com deficiência, e que ouvíssemos as vozes dos refugiados e migrantes, e de todos aqueles que estão ou se sentem à margem das nossas sociedades ou da Igreja, para que possamos caminhar e rezar juntos nesta viagem sinodal.

Como o homem paralítico do Evangelho segundo S. João que não consegue entrar no tanque de Betesda porque não tem ninguém que o ajude e todos os outros vão-lhe passando à frente, não gostaríamos de deixar ninguém para trás.

A Inclusivity Charter (Carta da Inclusão) foi redigida por um grupo de trabalho que se reuniu online no seguimento das reuniões de preparação em Taizé e Roma.

O objectivo da Carta é expressar que a nossa prioridade ao prepararmo-nos para o evento Together é que todo o povo de Deus seja bem-vindo e valorizado.

Carta da Inclusão